terça-feira, 8 de abril de 2014

Janelas matam bilhões de aves

"Faz décadas que os cientistas estudaram a colisão de pássaros com edifícios. Já sabemos que o número de colisões aumenta com o aumento da área coberta por vidro, com o aumento da vegetação nos arredores dos edifícios, com a quantidade de luz refletida pelas janelas e, escute só, com a presença de locais de alimentação de pássaros próximos à construção. Mas o número exato de vítimas nunca havia sido estimado de maneira cuidadosa. Foi isso que os cientistas fizeram agora."
por Fernando Reinach, leia a reportagem na integra aqui

O estudo feito nos Estados Unidos que deu origem a reportagem pode ser acessado aqui.


Também alguns artigos de como prevenir tais acidentes:

domingo, 30 de junho de 2013

Coruja e seus filhotes modificam cronograma de obras em Jundiaí

Uma coruja da espécie Tyto alba, com nome popular de coruja-da-igreja foi encontrada em uma obra, no km 64 da rodovia Engenheiro Constâncio Cintra em Jundiaí. O seu ninho foi encontrado com quatro ovos há aproximadamente 30 dias. O fato foi noticiado pelo programa Tem Notícias da TV TEM.

Foto: Fernando Maia/Rota das Bandeiras

Essa semana, dois filhotes nasceram, e de acordo com a assessoria da concessionária a mudança no cronograma, que consistiu na escolha de iniciar os reparos pela parte externa da obra, se deu para que a mãe coruja não se assustasse com os trabalhadores, o que poderia ocasionar no abandono e consequente morte dos filhotes. A assessoria ainda assegurou que esperará os animais voarem para que deixem o local e os funcionários retomem a recuperação do trecho. Segundo o site Wikiaves, elas estarão prontas para voar depois de 50 dias aproximadamente, e se separarão dos pais depois de 3 meses.

A coruja-da-igreja ou suindara, é uma espécie muito comum no Brasil que vive em locais habitados e nidifica usualmente torres de igreja, daí o seu nome popular. Considerada de grande utilidade para o homem gosta de se alimentar de roedores. Possuí a face na forma próxima de um coração, com dois discos faciais bem destacados, que a ajudam na caça, pois levam o som até a entrada dos ouvidos externos. Essa característica marcante, faz com que capturem as suas presas principalmente com a ajuda da audição.




quarta-feira, 24 de abril de 2013

"Nossas Aves, um Voo no Imaginário Popular"

O livro 'Nossas Aves, um voo no imaginário popular' traz imagens inéditas de aves em movimento, em pleno voo.

Imagem retirada de UOL Noticias

O livro é da Editora Avis Brasilis, e tem autoria do fotógrafo mineiro Lestes Scalon junto com o naturalista e desenhista de aves Tomas Sigrist.
O livro em versão bilingue (Português/Inglês) é composto por 320 páginas e contém imagens sobre os movimentos das aves em pleno voo. São centenas de aves das regiões do Pantanal, Cerrado, Amazônia e Mata Atlântica.

Mais imagens podem ser vistas no site da UOL Notícias - Meio Ambiente, e o livro pode ser adquiro diretamente pela página da editora.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Exposição de fotos de aves

O GOAC (Grupo de Observadores de Aves de Campinas) convida os amigos para a palestra OBSERVANDO AS AVES, e para a Exposição de fotos de aves. A exposição contará com algumas fotos de aves de Jundiaí´, além de aves registradas em Campinas e outras regiões, por integrantes do Grupo de Campinas.
Os eventos ocorrerão no Círculo Militar de Campinas entre os dias 23 de março e 13 de abril.



Interessados em participar da palestra, devem entrar em contato com Jefferson Silva, pelo email jefferson@indrix.net, pois para a entrada no evento há a necessidade de convites, e estes serão limitados.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Atraindo Aves No Ambiente Urbano

Já falamos deste assunto no nosso blog, porém neste sábado (dia 26 de janeiro) foi apresentado no programa de televisão Caminhos da Roça uma reportagem com dicas para atrair aves em nossos quintais.
Para quem não tem a possibilidade frequente de visitar grandes florestas para observar e fotografar aves, a atração destes animais para nossos quintais é uma alternativa bem legal.
O cultivo de plantas frutíferas em nossos quintais significa oferta de alimento para as aves, e até em quintais pequenos podemos montar vasos com espécies de flores que atraem principalmente beija-flores. Na falta de espaço para plantar árvores, também podemos construir comedouros com frutas ou sementes, como apresentado na reportagem, ou ainda atraí-las com locais para nidificação.


Como atenta o biólogo Rodrigo Damiano, é muito importante a manutenção dos bebedouros e comedouros, para evitar a proliferação de algumas doenças que possam prejudicar os animais que visitam nossos jardins.